Hospital Santa Isabel

Antes do hospital a Igreja Católica já se preocupava com a Saúde do povo. Dom Adalberto Marzi Lutou constantemente paro que o realidade do saúde fosse transformada. Fazendo parceria com outras entidades e pedindo apoio aos vários órgãos, criou várias iniciativas que respondessem o este desafio. O barco “Maria Cristina” que servia como consultório itinerante que passava nas vários comunidade ribeirinhas cuidando de cada pessoa, repassando remédios, encaminhando casos difíceis, dando sempre vida e esperança paro o povo.

A sua “menina dos olhos” é, de qualquer forma, o leprosário “Santa Isabel”, construída em São Paulo de Olivença com técnicas modernas, em seguida doado ao Governo do Estado. A ideia nasceu em 1964, com a visita, em Perúgia, do grande “Amigos dos Leprosos” Raul Follerau. A um grupo de senhoras, animado por Lina Petrucciolli, iniciou uma “corrente” de solidariedade, chamada “Amigas dos Leprosos”. Graças ao Pe. Nazareno Bartocci, falecido e, (1989) e do atual, Pe. Ângelo Marchese, acontece anualmente a “Jornada Mundial dos Leprosos”, (último domingo de janeiro), assim permitindo a construção de um ambulatório e, em seguida, do hospital. A unidade começou a funcionar em 1964 com apenas um ambulatório, mas em 1970 foi inaugurado o Hospital Santa Isabel, com leitos, sala de cirurgia, radiologia, e sala de parto.

Em 1976 foi cedido ao Governo que o administrava em benefício dos hansenianos do Alto Solimões. Até os dias de hoje o Hospital Santa Isabel esta sob a direção do Governo do Estado do Amazonas.