Dom Adalberto Doménico Marzi

 

Adalberto Doménico Marzi, nasceu em Spello, Itália, no dia 12 de abril de 1922. Onze anos depois, em 1933 entrou para o seminário. Vestiu o hábito capuchinho entre 1939 a 1940 e foi ordenado sacerdote em 02 de fevereiro de 1947 por Dom Stefano Corbini. Já após a sua ordenação presbiteral, Frei Adalberto de Spello, nome assumido no dia em que vestiu  o hábito capuchinho pela primeira vez, aprsentou aos superiores uma carta pedindo para ser enviado para o Amazonas. Esse pedido se repetiu, até que em 06 de junho de 1954, saindo do porto de Gênova, com alguns colegas de missão, partirá para o Brasil. Sua primeira residência durante meses foi Manaus. Depois de ter aprendido algumas noções básicas de português sua primeira cidade foi Benjamin Constant e nesta ficou até 1957 quando foi nomeado pároco de São Paulo de Olivença. Nesta paroquia dedicada a São Paulo Apostolo, encontrou uma catedral em construção, e foi aqui também que ele foi Nomeado Administrador Apostólico. Em 1960 esteve a frente do 50º aniversario de fundação da Prelazia e promoveu o 1º Congresso Eucaristico da prelazia. A Conclusão do Congresso coincidiu com a inalguração da Nova Catedral de São Paulo Apostolo, levada a termo por ele próprio como pároco e depois como prelado.

No dia 4 de fevereiro de 1961, Dom Mazi era elevado a dignidade episcopal. Sua consagração aconteceu de 9 de junho de 1961 na catedral de São Faliciano em Foligno na Italia. Dom Alberto Marzi permaneceu na Itália durante todo ano. Já em 1962 esteve no vaticano para participar do concilio e foi neste mesmo ano que retornou ao Brasil.

Foi na década de 60 que a lepra se alastrou em varias partes do Alto Solimões, muitos relacionam a isso o desejo de Dom Marzi em construir um hospital. Esta ideia ganhou corpo em 1964, mas o inicio do funcionamento foi com um ambulatório, os leitos, sala de cirurgia, radiologia, sala de parto funcionaram pela primeira vez em 1970. “Oh, Senhor!” Uma expressão que retornava sempre nos lábios de Dom Adalberto, ressoando como uma jaculatória que o acompanhou durante muitas dificuldades e dores.

Um grande preocupação o ser humano, tanto em âmbito religioso como social, procurando realizar o seu lema episcopal: “Adveniat Regnum Tuum”. Superou dificuldades imensas para que em todas as comunidades tivessem uma escola eficiente, um centro de saúde, e um templo onde o povo pudesse celebrar a sua fé e a sua gratidão ao próprio Deus.

Foram construídas, durante o seu pastoreio, as seguintes igrejas:

São Paulo de Olivença, inaugurada em 1960,

Santo Antônio do Içá (1967-68),

Benjamin Constant (1970-74),

Atalaia do Norte (1976-79),

Tabatinga, iniciada em 1982;

04 de novembro de 1990, por motivos de saúde, passou o “timão” do governo pastoral da Prelazia do Alto Solimões ao seu sucessor, D. Alcimar Caldas Magalhães;

1990 volta paro Itália no convento da Cúria de Assis, mas continua a se interessar pelo “seu” Amazonas;

16 de fevereiro de 1992 realizo-se um sonho seu: a Prelazia do Alto Solimões foi proclamada Diocese;

18 de outubro de 1994 foi reintegrado à Ordem e foi nomeado guardião do convento da Cúria, em Assis;

Julho de 1999 retornou a Manaus como Orientador espiritual dos formandos e da Pastoral dos Idosos;

18 de setembro de 2001 às 14:00h, morreu em Manaus por choque séptico, doença obstrutiva crônica e pneumonia, aos 79 anos de idade;

19 de setembro de 2001 foi sepultado em Manaus na Igreja dos Capuchinhos, São Sebastião.